Órgão do Mar

Órgão do Mar - na cidade de Zadar, Croácia. Situado na costa de Zadar, uma cidade da Croácia, encontramos o Órgão do Mar, degraus cravados em rochas que têm no interior um interessante sistema de tubos que, quando empurradas pelos movimentos do mar, forçam o ar e, dependendo do tamanho e velocidade da onda, criam notas musicais, sons aleatórios. Criado em 2005 ganhou o prémio europeu para espaços públicos (European Prize for Urban Public Space). O Órgão do Mar recebe turistas de várias partes do mundo, que vêm escutar uma música original que dá muita paz. O lugar também é conhecido por oferecer um belo pôr-do-sol, o que agrada ainda mais às pessoas que visitam a localidade.

Zadar é uma bela cidade do litoral da Croácia e foi duramente castigada durante a 2ª Guerra Mundial. A criação do Órgão é também uma iniciativa para devolver um pouco do que o lugar perdeu com tanta destruição e sofrimento.
Veja a estrutura interna das 'escadas'. O detalhe das cordas e notas musicais, que somadas à energia das ondas, criam sons:

As lacunas no concreto servem para o Órgão 'respirar' e também para levar os sons criados nos tubos.



IL silenzio di un bacio vale più di mille parole.........


Links para esta postagem |

Read Users' Comments ( 0 )


A Folha Online publicou , no dia 24 de maio p.p., uma notícia da agência
EFE, onde conta que o chileno Aurélio Montes reproduziu, em suas adegas,
cantos gregorianos para que o vinho amadurecesse em um ambiente relaxante e
com isso melhorar a qualidade da bebida.

A descoberta de Montes é devido a uma pesquisa em conjunto com a
Universidade Heriot-Watt (em Edimburgo, na Escócia).

"Sempre achamos que a música e o vinho andam juntos. É muito diferente tomar
uma taça em um lugar barulhento e incômodo do que o fazer sentado escutando
uma música agradável, seja clássica ou moderna", explicou Montes.

"Queríamos um tipo de música que desse uma sensação de calma e paz e
descobrimos que os cantos gregorianos eram algo sagrado, relaxante",
afirmou.

Montes explica que a música monástica beneficia seus vinhos, sobretudo o
Cabernet Sauvignon.

Assegurou ainda que "desde que colocamos música, o vinho envelhece com uma
grata harmonia. No início, o vinho é um pouco agressivo, como um jovem, mas
com a música os taninos se acalmam".


Links para esta postagem |

Read Users' Comments ( 0 )